Buscar

SOBRE VIVER AO AR LIVRE

Nosso parque tem um menu especial: tem bolo saindo do forno, suco de flores e brincadeiras de todos os gostos para explorar. Construímos castelos, brincamos de casinha e usamos o solo para registrar nossas descobertas.

Em chão de areia quem precisa de lousa?


Nossos pés percorrem muitos caminhos, areia, grama e texturas. Vivemos aventuras emocionantes no nosso trenó de grama e sentimos o vento e a grama com o corpo quando rolamos.

‘’Quando piso na areia sinto que ela é fofinha e deliciosa, mas quando a chuva chega ela fica cheia de buracos e gelada, dá para fazer bolinho de areia.‘’ Aqui temos a liberdade de brincar, imaginar, criar, de misturar, de usar o corpo e de se relacionar com o mundo.

‘’Nós não precisamos comprar brinquedos para usarmos a imaginação, brincar com areia, escorregar e rolar na grama. O nosso corpo sente tudo isso.’’

Assim também o corpo, sua subjetividade, se constrói integrado à cidade, à natureza, aos ambientes que propiciam a alegria de explorar, aberto sempre a novos caminhos. Esse espaço é vital para permitir que a criança floresça encontrando, desde si, a larga extensão do mundo.

O brincar se faz com a vida e não com produtos adquiridos em lojas, as crianças são as protagonistas da brincadeira. Elas criam, exploram e recriam. A brincadeira está firmada na produção e imaginação. E sua imaginação, não está baseada no consumo e valores, e sim nas marcas que ficarão para toda vida.

Professora Bianca 1º ano B




2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo